Translate it!

Guia de roupas árabes tradicionais e modernas




Mistura de cores, modelos, tecidos, bordados e adereços, as roupas no Oriente Médio de Marrocos a Oman tem um fascinante e espetacular glamour e modestia ao mesmo tempo.

Resolvi fazer esse post para tirar de vez a dúvida sobre o que é uma "abaya", uma "galabeya", hijabe, niqab, kandura, etc.

Vou tentar dividir por  países ou regiões, o nome que cada um dá e como e quando usar.

Determinando os fatores: idade, região e classe social


No que se refere ao vestuário do Oriente Médio, esses tres fatores são importantes ser citados. 
Para os jovens, principalmente masculino, eles costumam se vestir como os ocidentais e as meninas com o "hijabe" com mais estilos modernizados, porém, no golfo ainda a tradiçao de usar "kandura" para homem e "abaya" para mulher ainda predomina. 
Região: sim a região dita moda. Dependendo de cada uma as roupas serão mais coloridas, mais largas, mais sóbrias, etc.
No que tange à classe social, os países mais ricos, já inclusive, criaram suas vestimentas tradicionais com grandes grifes como Dolce e Gabbana e desfiles famosos como o Dubai Fashion Week para abayas e muitos bordados com Cristais Swarovski.

   


Antes de iniciar com os modelitos, vamos esclarecer alguns estereotipos criados em torno das roupas islâmicas ou árabe.

1 - Todos os árabes são muçulmanos:
Não, não são. Tem árabe cristão, ateu, judeu, etc... Então com isso com certeza o modo de se vestir muda.

2 - Todas as mulheres árabes usam hijabe:
Não, por 2 razões. Algumas não são muçulmanas e outras que são decidem não usar.

3 - Hijabe é o véu muçulmano:
Sim e não. Convencionou-se chamar de hijabe o véu das muçulmanas, mas a palavra "hijabe" é mais do que isso, é o modo todo de se vestir da cabeça aos pés modestamente. O véu na verdade é chamado "sheila" talvez  o pai do "chale" aquele que usamos aí no Brasil.

4 - Só existe um tipo de véu:
Não, existe vários, como mostro abaixo:



Amira ou khimar

Única peça com elastano geralmente, que envolve toda a cabeça e vai até a altura dos ombros. Pode ser 2 peças, uma toca justa à cabeça e por cima o véu tubular encaixado por cima da cabeça e no queixo.

Hijabe (sheila)

Com variados tipos de tecidos, de algodão ou sintético, é enrolado em volta da cabeça e pescoço de forma harmoniosa e com diferentes maneiras de usar, porém, nunca deve deixar a amostra os cabelos e pescoço.


Niqab

Pano que cobre o nariz e boca deixando somente os olhos a amostra.


Shador

Única peça parecida com a amira, porém longo tapando todo o braço até a altura dos punhos.
 Algumas senhoras usam o niqab com o chador e luvas.
Mas nem niqab e nem luvas são uma obrigação islâmica, a mulher usa por escolha própria. O islam apenas pede que se cubra os cabelos e pescoço.


Burka

Não, burka não é peça da vestimenta islâmica e muito menos árabe, como muitos falam e sim é peça de vestimenta dos países do Afeganistão e Pakistão.



Niqab bedouino


O niqab bedouino é usado geralmente pelas mulheres bedoina árabes do golfo e pode ser de pano ou de ferro, porém, nos outros países árabes também podem ser vistas usando. Por ser uma tradição antiga, é mais usado pelas mulheres mais velhas.
Não se trata de uma veste religiosa e sim de algo cultural, mantido por tradição.
Ainda hoje podemos ver senhoras usando esse tipo de niqab aqui pelos Emirados.


6 - Todos os árabes usam kandura (homem) e abaya (mulher):
Não, nem todos. Essas peças de vestuário são tradicionais do golfo e Arabia Saudita, mas nem todo mundo usa, voce pode encontrar jovens usando roupas ocidentais.



7 -  Todos os homens árabes usam roupa longa branca e um "pano" na cabeça...:
Bem, não mesmo! Os homens árabes dependendo do país usam roupas como os ocidentais, porém, os do golfo e Arabia Saudita têm como tradição usar um tipo de sobre-tudo longo e geralmente branco, mas pode ter outras cores também, chamado de thoub/thobe, dishdasha ou kandura. 
Na cabeça eles usam o lenço chamado ghuthrain no golfo, e keffiah no levante. É preso à cabeça por um tipo de cordão preto chamado aghal e por baixo para manter o cabelo no lugar eles usam uma toquinha chamada de thagiya.





Oman


Em Oman, país vizinho dos Emirados, os homens costuman usar um outro tipo de adereço para cobrir a cabeça, chamado de Kuma ou Musar.




As mulheres não diferem muito usando a abaya preta e a shayla preta também.

 

A galabéia do Egito


Uma túnica longa com mangas curtas ou longas para homem e mangas longas para mulheres. Usada em horas informais, em casa ou fora. Parecida com a kandura do golfo e o kaftan marroquino.
 

 O coton do Egito é famoso mundialmente pela sua textura e maciez. A galabéia não é normalmente visto sendo usada nas cidades mais conhecidas como Alexandria e Cairo e sim mais comum em Port Said e Asswan, porém, mesmo assim pode ser vista.

Palestina e Jordania



Para enterdermos a tradiçao palestina-jordania vamos observar o mapa acima e ver que os dois países se unem praticamente, fazem fronteira. Mesmo a Palestina com tantos problemas e quase sumindo do mapa (no Google Map já nao se encontra mais o nome Palestina), as duas culturas têm muito em comum, com os bordados em ponto de cruz e bordados a mão, seus trajes tradicionais são parecidos. Note, isso são trajes de festas e ocasiões, no dia a dia pessoas usam roupas normais (ocidentais) ou se tradicionais, mas com menos adereços.


Mulheres palestinas unidas no Dia da Mulher em 2016


Notem a similaridade das roupas Jordanianas e  sirians tambem.



 


Alguns famosos usando o "shemagh" ou "kefia" o lenço tradicional palestino masculino que virou moda...

 Alguns famosos usando o shemag




Marrocos


 Muitos marroquinos ainda usam a djellaba, uma ampla e confortável túnica com capuz com mangas compridas que pode ser considerada como parte do património nacional. Eles são mais coloridos para as mulheres, enquanto eles são feitos em tons de terra para os homens.


dois homans nas ruas de Marrakesh usando djellaba
balgha o chinelo marroquino
balgha


Os marroquinos podem acompanhar a túnica com os chinelos tradicionais chamados balgha, que vêm principalmente em amarelo, mas outras cores também são usadas.

 

ROUPA DAS MULHERES MORROCAS


Djellaba, o sobretudo com capuz
 
marroquina usando djellaba


Kaftan ou Caftan: um sobre-vestido semelhante ao djellaba mas sem capuz. É geralmente usado em ocasiões festivas ou casamentos, não é usado na vida diária.
O caftan marroquino, é usado para celebrações, particularmente casamentos.
Muitas vezes, designers de caftan não marroquinos e marroquinos confundem Takchita, então eles não sabem a diferença entre um Takchita e um Kaftan, eles chamam todos os caftan marroquinos. A verdade é que as mulheres marroquinas e estilistas da cultura marroquina fazem a diferença entre os dois:

Takchita: um vestido de duas peças consiste em duas partes, uma Tahtiya que é a primeira camada (caftan tradicional simples sem ornamentos), e Fouqia ou dfina, a segunda camada, um caftan é muitas vezes aberto e transparente, com muitos bordados bonitos e enfeites.

A Takchita é geralmente usado com um Mdamma (cinto) de seda ou ouro ou prata com pedras (diamante, rubi, safira e esmeralda)

Caftan: um vestido de uma peça geralmente usado sem Mdamma (cinto).






 História


O caftan marroquino tem suas raízes na herança persa trazida para o norte da África por conquistadores árabes. O caftan marroquino é um património cultural resultante de múltiplas civilizações que tiveram lugar em Marrocos durante os séculos passados. Muitas culturas contribuíram para a criação da cultura marroquina, da cultura berbere, da cultura árabe, da cultura andaluza.

As mulheres na África do Norte, incluindo Marrocos e Argélia são o caftan marroquino em casa e eventos especiais. Caftan marroquino é o equivalente de Abaya no Oriente Médio.

Fazendo uma abaya

Para quem gostar de costurar e quer se aventurar a fazer sua própria abaya aqui vai como tirar as medidas:




 Esse foi um post com extensas horas de pesquisa, durante uma semana, já estava desistindo 😁 até que resolvi resumir rsrs. 
Se faltou algum país, me desculpem, encontrei esses com diferenças mais significantes, se por acaso voce tem algum país que gostaria de saber  mais e nao foi citado deise um recado aqui embaixo.
maa salama!
  

Fontes em Ingles:
Istizada
Palestine from my eyes
972mag
    
Leia Mais ►

Leia Mais ››

Dubai Creek -- onde tudo nasceu, um pouco de história


Muitas pessoas tem interesse em saber mais sobre Dubai, muitos querem tentar uma vida profissional aqui e com isso vem muitas dúvidas.

Um pouco da história de Dubai



Cerca de 800 membros da tribo Bani Yas, liderada pela família Maktoum, se alojaran na foz da enseada creek) em 1833. A enseada era um porto natural e Dubai logo se tornou um centro para o comércio de pesca, pérolas e mar. Na virada do século 20 Dubai foi um porto bem sucedido. O souk (mercado em árabe) no lado de Deira ao lado da enseada (creek) era o maior na costa com 350 lojas e uma multidão constante de visitantes e de homens de negócios. Na década de 1930, a população de Dubai era de quase 20 mil, dos quais um quarto eram expatriados.
Na década de 1950 a enseada começou a limo, um resultado talvez do número crescente de navios que usavam. O falecido Governador de Dubai, Sua Alteza Sheikh Rashid bin Saeed Al Maktoum, decidiu que a via navegável fosse dragada. Era um projeto ambicioso, caro e visionário. O movimento resultou em maiores volumes de movimentação de carga em Dubai. Em última análise, reforçou a posição de Dubai como um importante centro de comércio e reexportação.
 
Quando o petróleo foi descoberto em 1966, Sheikh Rashid utilizou as receitas petrolíferas para estimular o desenvolvimento de infra-estruturas em Dubai. Escolas, hospitais, estradas, uma moderna rede de telecomunicações ... o ritmo de desenvolvimento era frenético. Um novo porto e terminal foram construídos no Aeroporto Internacional de Dubai. Foi implementada uma extensão de pista que poderia acomodar qualquer tipo de aeronave. O maior porto artificial do mundo foi construído em Jebel Ali, e uma zona livre foi criada em torno do porto.
 
barco cargueiro
A fórmula de Dubai para o desenvolvimento estava se tornando evidente para todos - liderança visionária, infra-estrutura de alta qualidade, ambiente de expatriados amigáveis, imposto zero sobre o rendimento pessoal e empresarial e baixos custos de importação. O resultado foi que Dubai rapidamente se tornou um centro de negócios e turismo para uma região que se estende do Egito para o subcontinente indiano e da África do Sul para o que agora são chamados de países da CEI.

 
Desde a década de 1960, Sheikh Zayed bin Sultão Al Nahyan, então governante de Abu Dhabi, e Sheikh Rashid bin Saeed Al Maktoum sonhavam em criar uma federação dos Emirados na região. Seus sonhos foram realizados em 1971, quando Dubai, Abu Dhabi, Sharjah, Ajman, Umm Al Quwain, Fujairah e (em 1972) Ras Al Khaimah, se juntaram para criar os Emirados Árabes Unidos.
  Sob o falecido Sheikh Zayed, o primeiro presidente dos Emirados Árabes Unidos, os Emirados Árabes Unidos se tornou um dos países mais ricos do mundo, com um PIB per capita superior a US $ 17.000 por ano. Na década de 1980 e início de 1990, Dubai tomou uma decisão estratégica para emergir como um importante destino turístico de qualidade internacional. Os investimentos na infra-estrutura turística pagaram generosamente ao longo dos anos.
  Dubai é agora uma cidade que possui hotéis incomparáveis, arquitetura notável e entretenimento de classe mundial e eventos esportivos. O belo Burj Al Arab hotel presidindo sobre a costa da praia de Jumeira é o único hotel do mundo com uma classificação de sete estrelas. Os Emirates Towers são uma das muitas estruturas que nos recordam a confiança comercial em uma cidade que se expande a um ritmo notável. Com 350 metros de altura, a torre de escritórios é o edifício mais alto do Oriente Médio e da Europa.
  Dubai também abriga grandes eventos esportivos internacionais. O clássico do deserto de Dubai é uma parada principal na excursão profissional da associação do Golf. O Dubai Open, um torneio de tênis ATP ea Copa do Mundo de Dubai, a corrida de cavalos mais rica do mundo, atraem milhares a cada ano.


Esse é um post mais sobre onde Dubai nasceu e como nasceu, não vou me referir de como é a vida aqui como morar, trabalhar, etc... isso será abordado em novo post.




Casa do sheikh Saed al Maktoum da dinastia Maktoun.



 




torre de vento - usada para refrescar o interior da casa com o vento canalizado por ela

porta entalhada uma caracteristica árabe

f





Os arredores da orla de Dubai Creek


Sem dúvida um lugar mágico, que nos leva do moderno ao antigo, onde podemos ver as pessoas andando num ritmo frenético, trabalhadores de todos os lados, indianos, pakistaneses são os maiores números por aqui. Eles comercializam de tudo.

Esses barquinhos são usados para transportar turistas e trabalhadores de um lado para o outro.




 

Uma parada para um lanchinho, uma deliciosa shawerma, um tipo de sanduiche de pão árabe com recheio de frango ou carne, salada e molho de tahina. Delicia!




Aqui os restaurantes são no estilo árabe, tudo aqui nos leva a sentir o mundo árabe. Á noite barcos com muitas luzes ficam navegando aqui como uma atraçao turística e os árabes se reunem para uma "shisha" ou  narguile, o cigarro arabe.







Arte


Aqui uma casa de artes onde há amostra da caligrafia árabe, estava fechada no momento e não conseguimos entrar, voltarei com certeza para poder registrar tuuuudo rsrs.




Uma visão do canal 
 


O Aqua-bus, o onibus aquático
 


Ruas estreitas

 
As ruas estreitas, bem marcantes do estilo árabe, usadas para canalizar o vento fresco que vem do mar e refrescar as casas. Sábia idéia.
 



 Os arabescos na ornamentação das faixadas.






Para fechar, como sempre, os amigos inesperados...



Para os próximos posts tentarei falar mais da vida normal em Dubai, como é viver aqui.
Se alguém já quiser deixar alguma dúvida por favor entre em contato.

salam!

Cris Freitas
Emirados Árabes


Leia Mais ►

Leia Mais ››

25 Frases em Árabe Egípcio - 25 Egyptian arabic phrases

Para começar o ano turbinando seu Árabe Egípcio montei mais um vídeo com 25 frases. Aproveite!

For you to start the new year boosting your egyptian arabic vocabulary I made a new video with 25 phrases. Enjoy it!








Espero que gostem e para ajudar o blog a crescer compartilhe nas redes sociais!

Cris Freitas
nos Emirados Arabes


Leia Mais ►

Leia Mais ››