Translate it!

TAPETES DE ORAÇAO E SUA SIMBOLOGIA

Olá meu povo, como estão todos? Sei que tenho me ausentado, mas as razões são fortes rsrs... tive que mudar de apartamento e ai como todos devem perceber mudança gera bagunça e fiquei sem ver meu computador por alguns longos dias... mas voltei!

Bom, hoje que tratar um pouquinho da nossa parte espiritual, falar um pouquinho sobre uma das coisas mais importantes numa religião: a oração e seus detalhes.

Como vocês já devem saber, eu me converti ou reverti ao Islam em 2011, com certificado emitido pelo cartório de Dubai, nos Emirados ÁRabes Unidos, já que na ocasião eu estava me organizando para me casar então aproveitei e fiz minha "shahada".


Gostaria de falar não muito sobre a oração em si, mas sobre o tapete de oração islâmica, o
سجادة (Sajjāda), pl. سجاجيد (Sajājīd).


Tapetes de Oração Islamica


Um tapete de oração é um pedaço de tecido, às vezes um tapete, usado pelos muçulmanos, colocado entre o chão e o adorador pela limpeza durante os vários atos da oração islâmica . Isso envolve prostração e sentar no chão . Um muçulmano deve executar wudu (ablução, higienização) antes da oração, e deve orar em um lugar limpo. Muitas novas esteiras de oração são fabricadas por tecelões em uma fábrica. O design de uma esteira de oração baseia-se na aldeia de onde veio e seu tecelão.
MIHRAB - lugar da mesquita para onde os oradores devem ficar direcionado
 
Ao orar, um nicho, representando o mihrab de uma mesquita, no topo da esteira, deve ser apontado para o centro islâmico para a oração, cidade de Meca, na Arábia Saudita . Todos os muçulmanos são obrigados a conhecer a qibla ou direção em direção a Meca, de sua casa ou onde estão viajando.

 

Simbologia e Uso



O tapete de oração tem um significado simbólico muito forte e tradicionalmente cuidado de maneira sagrada. É desrespeitoso que alguém coloque um tapete de oração em um local sujo (como os muçulmanos devem estar limpos para mostrar seu respeito a Deus) ou jogá-lo de maneira desrespeitosa. O tapete de oração é tradicionalmente tecido com um design retangular, tipicamente feito de forma assimétrica pelo nicho no topo da cabeça. Dentro do retângulo, geralmente encontramos imagens de símbolos islâmicos e arquitetura . Em algumas culturas, as decorações não só são importantes, mas também têm um profundo senso de valor no design do tapete de oração.


Um tapete de oração é caracterizado por um nicho em uma extremidade, representando o mihrab em cada mesquita, um ponto direcional para direcionar o adorador em direção a Meca . Muitos tapetes também mostram uma ou mais lâmpadas de mesquita, uma referência ao verso da Luz no Alcorão . As mesquitas específicas são às vezes mostradas; Alguns dos exemplos mais populares incluem as mesquitas em Meca, Medina e especialmente Jerusalém. 

Mesquita de Madina, Arabia Saudita, cidade do profeta Muhammad (PBUH)

As decorações não só desempenham um papel na imagem, mas servem o adorador como auxílio à memória. Alguns dos exemplos incluem um pente e jarro, que é um lembrete para os muçulmanos lavar as mãos e para os homens pentear os cabelos antes de realizar a oração. Outro uso importante para as decorações é ajudar os muçulmanos recentemente convertidos, costurando as mãos decorativas no tapete de oração onde as mãos devem ser colocadas ao realizar a oração. 

Os tapetes de oração costumam ser feitos nas cidades ou nas aldeias das comunidades que os utilizam e são frequentemente nomeados após as origens daqueles que os tratam e colecionam. O padrão exato variará muito por tecelãs originais e os diferentes materiais utilizados. Alguns podem ter padrões, corantes e materiais tradicionais / nativos da região em que foram feitos. Os padrões dos tapetes de oração geralmente têm um nicho no topo, que é virado para enfrentar a Meca. Durante a oração, o suplicante ajoelha-se na base do tapete e coloca suas mãos em ambos os lados do nicho no topo do tapete, sua testa tocando no nicho. Os tamanhos típicos de tapete de oração são de aproximadamente 2,5 pés × 4 pés (0,76 m × 1,22 m) - 4 pés x 6 pés (1,2 m × 1,8 m), o suficiente para se ajoelhar acima da franja em uma extremidade e dobrar para baixo e colocar a cabeça no de outros.

Tapete com árvore da vida, pássaros, plantas, flores e vasos
 
Alguns países produzem têxteis com padrões de tapete de oração para exportação. Muitos tapetes de oração modernos são peças estritamente comerciais feitas em grande número para vender em um mercado internacional ou comércio turístico.
Atualmente existem muitos tapetes de oração que foram atendidos há mais de 100 anos.  Na maioria dos casos, eles foram imediatamente e cuidadosamente rolado após cada oração


O milagre transilvano: tapetes islâmicos nas igrejas protestantes

As igrejas luteranas saxãs, os armazéns paroquiais e os museus da Transilvânia salvaguardam cerca de quatrocentos tapetes da Anatólia, que datam do final do século XV até meados do século XVIII. Eles formam o corpus mais rico e melhor preservado de tapetes de formato de oração do período otomano fora da Turquia.
Sem tentar um currículo da história complexa da região, a Transilvânia (como os outros principados romenos da Moldávia e da Valáquia) nunca passou por uma ocupação turca direta. Até 1699 tinha o estatuto de principado autônomo, mantendo a religião cristã e a própria administração, mas homenageando a Porta Otomana. Em contraste, seguindo a Batalha de Mohacs em 1526, parte da Hungria foi designada Pashalik e ocupava a ocupação turca há mais de um século e meio.
Os tapetes chegaram à propriedade das Igrejas Reformadas, principalmente como doações piedosas de paroquianos, benfeitores ou guildas. No século 16, com a chegada da Reforma, o número de imagens figurativas dentro das igrejas foi drasticamente reduzido à medida que as pessoas seguiram com diligência os dez mandamentos: "Você não deve fazer para você uma imagem esculpida ... você não deve curvar-se para eles ou servi-los ". Os frescos foram lavados a branco ou destruídos, e os muitos sumptuosos retalhos alados foram removidos mantendo exclusivamente o altar principal. Os paroquianos recentemente convertidos perceberam assim a igreja como um espaço grande, frio e vazio que precisava de aquecimento e um toque acolhedor. Os rastros da decoração mural foram encontrados durante as restaurações modernas em algumas Igrejas Protestantes como, por exemplo, em Malâncrav.
Nessa situação, os tapetes orientais, criados em um mundo espiritualmente diferente do cristianismo, encontraram seu lugar nas igrejas reformadas que se tornariam seus principais guardiões. A remoção do circuito comercial e o fato de serem usados ​​para decorar as paredes, os bancos e as varandas, mas não no chão, foram cruciais para sua conservação ao longo dos anos. Isso é único e extraordinário se considerarmos que o Império Otomano dominou fortemente a região naquele momento. Este fato confirma não só a tolerância religiosa tradicional dos transilvanos, mas também a capacidade dos tapetes orientais para unir diferentes culturas.




****

Era isso, espero que tenham gostado e que sirva para enriquecer seu conhecimento ainda mais. Até breve.
 Cris Freitas - nos Emirados ARabes Unidos


Leia Mais ►

Leia Mais ››

O MERCADO PUBLICO ÁRABE E SUA IMPORTANCIA NA VIDA DOS ARABES





Esta semana fiz um video dentro do museu de Ajman, nos Emirados Arabes Unidos, e uma das coisas interessantes que vi lá foi o Mercado Publico, como eram feitas as comercializações de tempos antigos. É um video caseiro, sem muitos efeitos tecnicos da minha coleção que gostaria de compartilhar com voces.



Na entrada do setor do mercado Publico encontra-se esse quadro explicativo que traduzi:

O MERCADO PUBLICO


Dos tempos dos mercados antigos tem sido considerado o centro da atividade economica, por la dá-se o lugar para vender e comprar mercadorias  e lá as pessoas adquirem as coisas que necessitam.
o que distingue o mercado no passado era o seu local no centro da cidade, perto da beira-mar que facitava o transporte dos bens de e para lá.
o prédio do mercado eram lojas construidas de corais e gesso ou ramos de palmeiras. A maioria dos mercados de pedra eram propriedades do governo local e arrendados para os mercadores.
Os mercados públicos consistiam de uma variedade de negócios e serviços necessitados pela comunidade local. A maioria eram: mercearia, tecidos, condimentos, estofamento, carvão, lenha e açougue. Como serviços tinham: alfaiataria e salão de barbeiro estavam entre os mais proeminentes.
As escolas usadas no passado eram escala de plataforma e balança com duas bandejas.
Para pesos, os mais comuns eram:
al-men (equivalente a 4kg),
al-chas (1/2kg),
the ruba'ah (1/4) e
chas-al-seer (1/3 chas).
Inspeçoes regulares nas medidas e pesos eram conduzidas pelo governo local, em ordem a proteger o interesse das pessoas e prevenir enganações.






Pesquisas

Um souq ou souk (árabe: سوق , hebraico: שוק suq, espanhol: zoco, também escrito por shuk , shooq , soq , esouk , succ , suk , sooq , suq , soek) é um mercado ou uma sala comercial no oeste asiático e cidades do norte da África. O termo souq passa por muitas alternativas em diferentes partes do mundo. [esclarecimento necessário]. Em Malta, os termos suq e às vezes monti são usados ​​para um mercado, e no norte de Marrocos, socco do espanhol quebrado é freqüentemente usado. O termo persa equivalente é "bazar". Em geral, um souq é sinônimo de um bazar ou mercado, e o termo souq é usado em países de língua árabe.

Evidências para a existência de suqs datam do século VI aC. Inicialmente, os souqs estavam localizados fora das muralhas da cidade, mas à medida que as cidades se tornaram mais povoadas, os suqs foram transferidos para o centro da cidade e se tornaram passarelas cobertas. A análise detalhada da evolução dos suqs é escassa devido à falta de evidências arqueológicas.

Nos séculos XVIII e XIX, o interesse ocidental pela cultura oriental levou à publicação de muitos livros sobre a vida cotidiana nos países do Oriente Médio. Souqs, bazares e as armadilhas do comércio são proeminentes em pinturas e gravuras, obras de ficção e escritas de viagens. Comprar no souq ou no bazar é uma parte normal da vida diária em todo o Oriente Médio. Hoje, os souqs tendem a ser encontrados na medina de uma cidade (bairro antigo) e muitas vezes são atrações turísticas importantes.

 

Etimologia




Souq em Dubai, Deira Souks

A palavra árabe é um empréstimo do aramaico "šūqā" ("rua, mercado"), um empréstimo do "sūqu" Akkadiano ("rua", de "sāqu", que significa "estreito"). O souk de ortografia entrou em línguas europeias provavelmente através do francês durante a ocupação francesa dos países árabes Marrocos, Argélia e Tunísia nos séculos 19 e 20. Assim, a palavra "souq" provavelmente se refere aos mercados tradicionais árabes / norte-africanos. Outras expressões desta palavra envolvendo a letra "Q" (sooq, souq, so'oq ...) provavelmente foram desenvolvidas usando o inglês e, portanto, se referem a mercados tradicionais ocidentais / árabes, já que o colonialismo britânico estava presente lá nos dias 19 e 20 séculos. No árabe padrão moderno, o termo al-sooq refere-se a mercados tanto no sentido físico quanto no sentido econômico abstrato (por exemplo, um falante árabe falaria do sooq na cidade velha, bem como o sooq para o petróleo, e chamaria a conceito de mercado livre السوق الحر as-sūq al-ḥurr ).

O termo é usado frequentemente para designar o mercado em qualquer cidade ocidental asiática, mas também pode ser usado em cidades ocidentais, particularmente aquelas com uma comunidade muçulmana.
História

As fontes documentais apontam para mercados permanentes nas cidades do Oriente Médio já em 550 aC. Um souq era originalmente um mercado ao ar livre. Historicamente, os souqs foram realizados fora das cidades em locais onde as caravanas entrantes paravam e os comerciantes mostraram seus bens para venda. Souqs foram estabelecidos em caravanserai, lugares onde uma caravana ou caravanas chegaram e ficaram para descansar e refrescar-se. Uma vez que isso pode ser pouco frequente, os souqs geralmente se estendem para além da compra e venda de bens para incluir grandes festivais envolvendo várias atividades culturais e sociais. Qualquer souq pode servir uma função social como um lugar para as pessoas se encontrarem, além de sua função comercial. Esses souqs ou bazares formaram redes, ligando as principais cidades entre si em que bens, cultura, pessoas e informações poderiam ser trocados. 

Em todo o século 10, à medida que as grandes cidades aumentavam de tamanho, o souq ou o mercado mudaram para o centro das cidades urbanas onde se espalhou pelas ruas da cidade, tipicamente em um padrão linear. Por volta desta época, os suqs também se tornaram mercados cobertos.

Nas áreas tribais, a neutralidade dos conflitos tribais geralmente foi declarada para o período de operação de um souq para permitir o intercâmbio sem bagagem de bens excedentes.

Tipos

Souqs



Sibil El-Bed Vieh (Souk-el-Selak), Cairo, Egito



Souq Waqif em Doha , Catar



Marrocos , cidade de Essaouira



Souq em Tunisia



Souq El Mushir Street Tripoli



Rua Souk Khan El-Khalili (شارع خان الخليلي), Cairo, Egito

Um homem sírio que usa roupas tradicionais que serve suco de alcaçuz no mercado de Homs

O tradicional pote de barro tagine, usado para cozinhar tajine (prato)



Souq em Marraquexe no Marrocos



Souq de Marraquexe
Sazonal

Pimentas de Caiena em um Souq no Iêmen, o Souq Al Milh

Temporario


Um souq temporário e sazonal é realizado em um horário fixo que pode ser anual, mensal ou semanal. Os suqs mais antigos foram criados anualmente, e geralmente eram festivais gerais realizados fora das cidades. Por exemplo, Souq Ukadh foi realizado anualmente em tempos pré-islâmicos em uma área entre Meca e Ta'if durante o mês sagrado de Dhu al-Qi'dah. Enquanto um mercado ocupado, era mais famoso por suas competições de poesia, julgadas por poetas proeminentes, como Al-Khansa e Al-Nabigha. Um exemplo de um souq islâmico anual é Al Mirbid, apenas fora de Basra, também famoso por suas competições de poesia além de suas atividades de narração de histórias. Os suqs temporários tenderam a se tornar conhecidos por tipos específicos de produtos. Por exemplo, Suq Hijr no Bahrein foi conhecido por suas tamaras, enquanto Suq 'Adan era conhecido por suas especiarias e perfumes. As mudanças políticas, econômicas e sociais deixaram apenas os pequenos souqs sazonais fora das aldeias e das pequenas cidades, principalmente vendendo gado e produtos agrícolas.

Os mercados semanais continuaram a funcionar em todo o mundo árabe. A maioria deles é nomeada a partir do dia da semana em que são realizadas. Eles costumam ter espaços abertos especificamente designados para seu uso dentro das cidades. Exemplos de mercados sobreviventes são o mercado de quarta-feira em Amã que se especializa na venda de produtos usados, o mercado Ghazl realizado todas as sextas-feiras em Bagdá, especializado em animais de estimação; O Fina 'Market em Marrakech oferece atos de performance como cantar, música, acrobatas e atividades de circo.

Permanente


Souqs permanentes são mais comuns, mas menos conhecidos, pois se concentram na atividade comercial, não no entretenimento. Até a era Umayyad, os souqs permanentes eram apenas um espaço aberto onde os comerciantes trariam suas bancas móveis durante o dia e as removiam à noite; Ninguém tinha direito a um espaço específico e geralmente era o primeiro a chegar e primeiro a ser servido. Durante a era Umayyad, os governos cobraram aluguel, e depois vendiam, espaços para comerciantes. Os comerciantes então construíram lojas em seus locais para armazenar seus produtos à noite. Finalmente, a área que compreende um souq pode ser coberta. Com seus becos longos e estreitos, al-Madina Souq é o maior mercado histórico coberto do mundo, com um comprimento aproximado de 13 quilômetros.  Al-Madina Souq faz parte da antiga cidade de Aleppo, Património Mundial da UNESCO desde 1986.



Souq al-Madina em Aleppo, Síria



Entrada Souq em Jerusalém

Spice Market, Marraquexe



Souq de Ouarzazate .

Suquetes cobertos em Bur Dubai

Souq em Tripoli

Loja de artigos de couro no souq em Marrakech

Souq em Rabat, Marrocos



Assad souq, Syria, 2001

Souq coberto antigo, Aleppo, Síria
Organização

Mule em movimento de mercadorias no bairro da Medina sem carros, Fes , Marrocos

Gharipour apontou que, apesar da centralidade dos souqs e dos bazares na história do Oriente Médio, é relativamente pouco conhecido devido à falta de evidências arqueológicas.Os Souqs são tradicionalmente divididos em seções especializadas que tratam de tipos específicos de produtos, no caso de souqs permanentes, cada um geralmente alojado em algumas ruas estreitas e nomeado após o produto em que se especializa, como o souq de ouro, o souq de tecido, o souq de especiarias, souq de couro, souq da cópia (para livros), etc. Isso promove a concorrência entre os vendedores e ajuda os compradores a comparar facilmente os preços.

Ao mesmo tempo, toda a assembléia é coletivamente chamada souq. Alguns dos exemplos proeminentes são Souq Al-Melh em Sana'a, Manama Souq no Bahrain, Bizouriyya Souq em Damasco , Saray Souq em Bagdá, Khan Al-Zeit em Jerusalém e Zanqat Al-Niswaan em Alexandria.

Embora cada bairro da cidade disponha de um local de venda de Souq e outros itens essenciais, o souq principal foi uma das estruturas centrais de uma grande cidade, vendendo bens duráveis, luxos e prestando serviços como troca de dinheiro. Oficinas onde os bens são vendidos ou produzido (no caso de um comerciante que vende produtos produzidos localmente) são tipicamente localizados longe do próprio souq. O souq era um nível de administração municipal. O Muhtasib foi responsável por supervisionar as práticas comerciais e cobrar impostos por um determinado souq, enquanto os Arif são os supervisores de um comércio específico.

Comprar em um souq ou mercado é parte da vida diária em grande parte do Oriente Médio. Os preços são comumente definidos pela barganha, também conhecida como regatear, entre compradores e vendedores.


Na literatura e arte

 

Nos séculos 18 e 19, quando os europeus começaram a conquistar partes do Norte da África e do Levante, o interesse pela cultura e arquitetura do Oriente Médio começou a florescer. Este interesse gerou um gênero de obras literárias e pinturas que se tornou conhecido como Orientalismo. Uma proliferação da ficção oriental e da escrita de viagem ocorreu no início do período moderno e muitas dessas obras foram amplamente ilustradas com gravuras de cenas diárias de estilos de vida orientais, incluindo cenas de mercados e comércio de mercado. Algumas dessas obras foram propagandas destinadas a justificar o imperialismo europeu no Oriente, no entanto muitos artistas se basearam fortemente em suas experiências cotidianas de inspiração em suas obras de arte. Por exemplo, Charles D'Oyly, que nasceu na Índia, publicou as Antiguidades de Dacca com uma série de 15 placas gravadas de Dacca [agora Dhaka, Bangladesh] com cenas de mercados, comércio, edifícios e paisagens de ruas. Artistas notáveis ​​no gênero orientalista incluem: Jean-Léon Gérôme Delacroix (1824-1904), Alexandre-Gabriel Decamps (1803-1860), Frederic Leighton (1830-1896), Eugène Alexis Girardet 1853-1907 e William Holman Hunt (1827-1910) que encontraram inspiração em cenas de rua orientais, comércio e comércio.

O Chouk [souk], gravura das Antiguidades de Charles D'Oyly de Dacca, 1814


fonte
https://en.wikipedia.org/wiki/Souq


 
Leia Mais ►

Leia Mais ››

MENSAGEM DE AMOR EM ARABE - LOVE ARABIC PHRASE

donwload, colecione, compartilhe!



“العجايب سبع وثامنها عيونك..”

"Há sete maravilhas e a oitava é o seu olhar ..."





“العجايب سبع وثامنها عيونك..”

“There are seven wonders and the eighth is your eyes..” 

 
Leia Mais ►

Leia Mais ››

FRASES ARABES - ARABIC PHRASE



عزائي الوحيد أننا تحت نفس السماء نتأمل نفس القمر والنجوم
  
 "Pelo menos estamos sob o mesmo céu, olhando a mesma lua e as estrelas".







عزائي الوحيد أننا تحت نفس السماء نتأمل نفس القمر والنجوم
    “At least we’re under the same sky, staring at the same moon and stars.” 
Leia Mais ►

Leia Mais ››

A arte do jordaniano que cria ilustrações de moda com "estampas" do cotidiano árabe


Ainda não vi nada mais criativo...















Compartilhe, comente, estude conosco!

maa salama! Cris Freitas nos Emirados Arabes



Leia Mais ►

Leia Mais ››

MENSAGENS DE AMOR EM ÁRABE - ARABIC LOVE PHRASES


download, colecione e compartilhe!

يبقى الحب كلمة حتى يأتي شخصا و يعطيعا معنى 
"O amor continua a ser uma palavra, até vir alguém e lhe dá um significado".



 يبقى الحب كلمة حتى يأتي شخصا و يعطيعا معنى
  “Love remains a word, till comes someone and gives it a meaning.”
Leia Mais ►

Leia Mais ››

UMA MENSAGEM EM ARABE PARA MOTIVAÇAO




غدا ستشرق الشمس  و أنا … أحب الصباح كثيرا
"Amanhã o sol se levantará e eu adoro as manhãs".




Leia Mais ►

Leia Mais ››

COMIDA EGIPCIA - MAHSHY KROMB - ROLINHOS DE REPOLHO RECHEADOS



Mahshi kromb (محشي كرنب) - Egito e Sudão
Malfoof mahshi (محشي ملفوف) - Levante

Em árabe a palavra "mahshi محشي" significa recheado, qualquer comida que tenha recheio, algo dentro, como abóboras, pimentões, batatas, abobrinhas e por que não folhas, folhas de uvas e de repolhos são as mais usadas. E a palavra " كرمب kromb " significa repolho, o que nos dá repolho recheado, mas nesse caso são usadas as folhas do repolho e recheadas e enroladas como rolinhos, ou fazendo uma relação mais próxima ao Português ficaria "charutos de repolho recheados".

Veja o video para aprender a fazer Mahshi kromb. Deliciaaaa

Não esqueça de clicar no Like (Jóinha) para ajudar nosso novo canal a crescer! :D


 

 INGREDIENTES:

Para o cozimento dos charutinhos

2 xicaras de caldo de galinha, carne ou vegetais (a sua preferencia).
Reserve.

Para os charutos de repolho


1 cabeça média de repolho (você não vai usar tudo)
1 colher de cominho
1 copo de arroz lavado e cru
1 cebola média picada
salsal e coentro picados
Reserve.
 

Para o creme de tomate para o arroz


1 cubo de caldo de carne ou galina
3 tomates picados
3 colheres de molho de tomate
pimenta preta, 
1 pimenta dedo de moça (caiena)
1 colher de páprika
sal a gosto

Assine nosso canal de culinária para próximos vídeos com receitas árabes! Canal novinho ainda!!

 SABOR DAS ARABIAS Youtube channel

SABOR DAS ARABIAS




 Diga em árabe egípcio: Bel hana! = Bom apetite!
Diga em árabe levantino: Sahtein! = Bom apetite!




maa salama
Cris Freitas


 
Leia Mais ►

Leia Mais ››

COMO CONVERSAR ONLINE SE VOCE NAO TEM UM TECLADO ARABE



Quando árabes estão conversando online e nem sempre possuem um teclado com caracteres (letras) em árabe, eles acharam um jeito muito prático de não deixar de ter suas conversas prejudicadas.

Com a vinda da internet, sites de relaciomentos e redes sociais a quantidade de pessoas usando computador ao redor do mundo tem aumentado, e com isso os árabes também,  porém, nem sempre um computador usado em um país não-árabe vai ter o mesmo teclado com letras árabes de um computador usado no Egito, por exemplo. Não que não haja uma saída alternativa para isso, como o Windows 10 já traz um teclado virtual onde podemos adiconar a Língua Árabe e assim usar seus caracteres apenas clicando nas letras... o que fica, muitas vezes, uma digitação vagarosa, MAS AJUDA.

Eu uso assim, pois, meu computador não veio com teclado árabe, mesmo eu  morando em país dessa líingua... 😭😭 a gente sofre... rsrsr


Para visualizar o teclado virtual, clique no ícone do teclado, da barra de tarefas do seu Windowss. Se não tiver árabe adicionado, você terá que adiconar, clicando em Preferências de Linguagem e Adicionar Linguagem, escolha o Árabe, além do Português que já deve estar em uso. Aqui eu uso o Inglês, Português (só por causa da bendita da cedilha que não tem no Inglês) e o Árabe. Agora veja como usar.

Trocando para Árabe no teclado virtual no Windows 10



















Clicando nas letras ao invés de digitar



Para conversar online

Agora vamos a tabela de letras que podemos usar, caso não tenhamos o teclado em árabe, virtual ou real. Sempre tem uma saída para qualquer problema 😜, me acompanha rsrs.

 ---------------------------

ا
a
ب
b
ت
t
ث
th
ج
J/g
ح
H / 7
خ
Kh / 7 ou 5
د
d
ذ
dz
ر
r
ز
z
س
s
ش
sh
ص
S / 9
ض
D / 9
ط
T / 6
ظ
Z / 6
ع
a / 3
غ
Gh / 3
ف
f
ق
8
ك
k
ل
L
م
m
ن
n
هـ
h / rr
و
w / u
ي
y / i
ء
2


Tenha cuidado com os maiúsculos e minúsculos, pois há diferença para cada um, afinal eles não estão escritos assim a toa.

Vamos ver como fica uma frase em árabe usando a forma romanizada, ou seja, com nossas letras:


Uma frase bem fácil, que aposto que muitos que procuram esse blog já sabem de cor 💔💓💓 rsrs:



 Amo você - em português
   بحبك - escrita árabe
baHebek ou baHebak  - escrita de forma romanizada, ou árabe franco.
 baHeb = (amo)
ak = (voce p/ masculino) e
ek = (você para feminino)
Na escrita árabe ak/ek só é diferenciado na pronuncia, na escrita fica tudo igual.

Apenas uma palavra para dizer uma frase toda, não é genial! 
O pronome Eu não aparece na frase porque não precisa.

Outra bem procurada:

Meu amado - em português
 حبيبي
 Habibi - forma romanizada ou árabe franco
Minha amada
حبيبتي 
Habibty

Então era isso, acho que esse post explica melhor o que outros posts tentaram dizer. Tenham boas conversas online!!

Cris Freitas - nos Emirados Arabes Unidos








Leia Mais ►

Leia Mais ››