Translate it!

Arte árabe - Arquitetura Tradicional de Dubai

 

PARTE III

 

Arquitetura de Dubai

 

Texto retirado do original em inglês do governante de Dubai Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum. 

 



Forte Al Fahidi
Dubai era um ponto de passagem para caravanas na rota do comércio do Iraque para Omã , e para dhows entre a Índia, África Oriental e do Golfo do Norte. Isto levou ao estabelecimento da cidade como um centro internacional de comércio, onde muitas culturas e tradições se misturaram. A Arquitetura tradicional de Dubai reflete essa mistura de nacionalidades e culturas. Apesar de claramente árabe em estilo, também é influenciado pelas idéias asiáticos e européias.

Um relatório da M. Houghton da Marinha Real em 1822, descreveu Dubai como um conjunto de cabanas de barro "cercado por um muro de barro baixo com várias aberturas, e defendida por três torres redondas, e um edifício quadrado acastelado, com uma torre em ângulo ... e com apenas 3 ou 4 armas... A torre ocidental, que fica em um pequeno penhasco sobre o riacho, tem também 3 ou 4 armas, e está em reparação moderado ". 1


Museu de Dubai
A construção mais antiga de Dubai, o forte Al Fahidi , foi construído em 1799, e é provavelmente o "edifício quadrado acastelado" de que Houghton escreveu. Foi usado como a residência do governante, bem como um abrigo para pessoas em caso de ataque. Ele agora abriga o Museu de Dubai.
O estilo vernacular tradicional da arquitetura em Dubai é o resultado de uma mistura de três fatores dominantes: o clima (quente e úmido), a religião e os costumes do seu povo, e os materiais de construção disponíveis localmente.



EXEMPLOS de arquitectura tradicional de Dubai
Para reduzir o calor, tanto quanto possível, as casas foram construídas próximas umas das outras, com vielas estreitas (Sikka s) que ficavam entre elas de Norte a Sul, terminando no riacho. Para a maior parte do dia, esses becos estavam à sombra de altos muros das casas que permitiam que o vento fresco do Norte circulasse livremente.

A necessidade de algum tipo de sistema de refrigeração foi uma característica central das casas em si. As casas eram normalmente abertas para um pátio interior que poderia gerar alguma circulação do vento em torno dos quartos.

O efeito da religião e costume na arquitetura vernacular de Dubai é outra razão pela qual os cômodos da casa, geralmente abertos para o pátio, deixando as paredes exteriores com muito poucas, se houver, aberturas, com exceção de alguns furos de ventilação no alto da parede, como no ensinamento islâmico para promover privacidade e modéstia. Muitas vezes, uma parede seria colocada imediatamente atrás do portão de entrada, o que significa que os visitantes teriam de fazer uma curva acentuada, antes de continuar para o terreno e garantir que pessoas de fora do portão não podessem ver, garantindo assim a privacidade dos habitantes.

Os portões eram, muitas vezes esculpidos, por serem as portas de muitas casas. Este elemento decorativo foi uma influência indiana.

Materiais de construção locais eram simples, mas bem adaptada às exigências do clima severo e estilo de vida. Há vários tipos de casas. Os beduínos nômades não tinham o uso de habitação permanente. As barracas tradicionais que viviam durante o inverno eram feitas de pêlos e pele. Durante o verão, eles viviam em pequenos abrigos chamados Al Arish, feito de folhas de palmeira.

Em 1894, Deira foi devastada por um incêndio, o que levou a uma nova fase de desenvolvimento. As pessoas mais ricas começaram a construir as suas habitações de pedra coral e gesso, enquanto os habitantes de baixa renda ainda viviam em cabanas (barasti s) construídas a partir de folhas de palmeiras.
torre de vento

As torres de vento (barajil s) foram o elemento mais distintivo arquitetônico das casas no início do século XX. Eles foram usados ​​pelos árabes por muitos anos. As Torres de Vento tem quatro lados abertos, cada um dos quais é escavado numa côncava em forma de V, a qual desvia o vento para baixo, arrefecendo os quartos abaixo.
A água jogado no chão abaixo da torre esfria a casa quando a água evapora. Quando o ar frio não é necessário, as aberturas podem ser fechadas.

A casa Sheikh Saeed Al Maktoum, construída em 1896, é um exemplo típico da arquitetura da época. Era a residência do ex-governante de Dubai, Sheikh Saeed Al Maktoum , até sua morte em 1958.

Os comodos foram dispostas ao redor do pátio. Portas de duas folhas, telas de treliça e balaustradas de madeira foram usados ​​e a casa ostentava quatro torres de vento. Agora foi cuidadosamente restaurada e abriga um museu de fotografia. Outro bom exemplo de arquitetura vernacular de Dubai, que foi recentemente restaurado é o Majlis Al Ghuraifa, originalmente construído em 1955, que serviu como um retiro de verão de Sheikh Rashid bin Saeed Al Maktoum .

No início do século XX como o comércio floresceu, muitas mesquitas foram construídas em áreas residenciais e comerciais para que as pessoas fossem  capazes de realizar suas orações diárias facilmente. Os muçulmanos se reuniram para as orações sexta-feira na grande mesquita do lado do Dubai Creek. Com seu minarete e 52 cúpulas, era o edifício mais elegante da cidade. 

Com a descoberta de petróleo, Dubai testemunhou uma explosão populacional sem precedentes. Durante os anos 1970, a ênfase foi em acomodar mais pessoas em menos espaço, e o horizonte de Dubai começou a subir, como o conceito ocidental de edifícios de apartamentos começaram a aparecer ao lado das casas tradicionais.

Grande parte da infra-estrutura de Dubai foi estabelecido nesta década (estradas, habitação, drenagem, prédios de escritórios, etc.) O edifício mais famoso construído neste tempo foi o 39 andares Dubai World Trade Centre.

A década de 1980 viu mais projetos arquitetônicos sendo desenvolvidos em relação com a cultura local, como muitos arquitetos locais formaram-se neste momento. Um pátio coberto e piscinas de água foram adicionados ao edifício Municipalidade de Dubai, e arcos tradicionais enfeitaram o Al Wasl Hospital.

A década de 1990 viu a arquitetura madura de Dubai, com importância ainda maior, dada a cultura e património. Projetos de renovação foram iniciados em toda a cidade, enquanto jardins públicos foram criados em muitas áreas.

O Sheikh Zayed Road SKYLINE

Os novos materiais e tecnologias já disponíveis estão permitindo designs mais aventureiros. Dubai agora tem alguns edifícios verdadeiramente espectaculares, como o Bur Juman Shopping Center, prédios de escritório, como  o Emirates Towers e hotéis como o Burj Al Arab e Jumeirah Beach, que combinam o estado da arte do desenho arquitetônico e a técnica com um sabor tradicional árabe.



Fontes:
Records of Dubai 1761-1960, Archive Editions, 2000, Vol.1, pg. 3.
www.dubaitourism.co.ae
www.uaeinteract.com
Dubai – Gateway to the Gulf, edited by Ian Fairservice, Motivate Publishing, 1986
Architectural Heritage of the Gulf, Shirley Kay and Dariush Zandi, Motivate Publishing, 1991
Land of the Emirates, Shirley Kay, Motivate Publishing, 1999
The UAE and Oman, 2 Pearls of Arabia, Walter M. Weiss and Kurt-Michael Westermann, Motivate Publishing, 1996

Original em inglês aqui
Tradução Criss Freitas com ajuda do Google Translator.