,,

Translate it!

A história do antigo Egito 2500 aC a 1500 aC: Parte 3/6



A civilização do antigo Egito está entrando em um dos períodos mais gloriosos de sua história!



O período entre 2500 aC e 1500 aC viu o Antigo Egito passar por períodos de divisão, fraqueza, e de unidade e força.



O Primeiro Período Intermediário c. 2150-2080 aC


A última grande pirâmide do Reino Velho foi erguida para Pepy II, após um reinado de 96 anos (c.2246-2152 aC). Talvez em parte como resultado de seu extraordinário longo reinado, com a sua morte a autoridade do rei parece não ter sido tão eficaz, nem o seu prestígio tão grande. Governadores provinciais agora poderiam ser enterrados localmente, não no cemitério real de Memphis. Eles encomendaram obras monumentais em seus próprios nomes, e tomaram o crédito para si mesmos para as suas políticas, em vez de dá-lo ao rei.


Isto marcou o início do que é conhecido na história do antigo Egito como o Primeiro Período Intermediário, quando a autoridade central era fraca e o poder se fragmentava entre as famílias provinciais, geralmente descendentes de governadores do Império Antigo. Inevitavelmente, este período de impotência real terminou em guerra civil.


Isso começou no sul, onde a família que governava a cidade menor de Tebas começou a expandir seus territórios à custa de seus vizinhos. Logo Tebas dominou o sul, e em seguida, em seu governante Montjuhotep I (c. 2080-2074 aC), conseguiu subjugar todo o país. Estes eventos inauguraram o período conhecido como o "Reino do Meio" no antigo Egito.


O Reino do Meio c. 2074-1759 aC

Senusret II

O rei tornou-se novamente a presença unificadora do país. Um novo complexo funerário real foi construído, ao sul de Memphis, que rivalizava com a do cemitério Antigo do Reino de Gizé. Grandes projetos de recuperação foram realizados nas regiões Fayum e Delta, trazendo terra muito produtiva sob cultivo. O Comércio internacional; que era um monopólio real; foi ampliado, em particular com o Levante e seu principal porto, Byblos, e nas rotas das caravanas para a Palestina, onde uma série de fortalezas no deserto do Sinai foram construídas para deixar essas caravanas mais sob controle egípcio.

No sul, os reis da 12° Dinastia (c.1937-1759 aC) sistematicamente colocaram o norte da Nubia* sob o domínio egípcio, com fortes sendo construídos abaixo da Segunda Catarata do Rio Nilo; ou afloramentos rochosos, que produzem corredeiras rasas; e mais tarde, sob o rei Senuseret II (c. 1842-1836 aC), estes foram estendidos mais ao sul, na medida do Semna**. Para expandir ainda mais o comércio com as terras do sul, um porto no Mar Vermelho foi estabelecido como uma base para o comércio com a terra de Punt (um país, provavelmente, situado na costa sul-ocidental do Mar Vermelho).

as Cataratas (corredeiras) de Asswan no Egito


O segundo período intermediário c. 1759-1539 aC


Quando Montjuhotep reunificou o país no início do Reino Médio, ele parece ter deixado muitas das famílias dominantes locais no lugar, e as províncias permaneceram nas mãos dos que eram príncipes essencialmente hereditários durante todo o período do Império Médio.Durante a dinastia 13 (c.1759-1641aC), estes gradualmente afirmaram-se contra as autoridades centrais, e o poder dos reis ficaram diminuídos novamente. A fraqueza dos reis teve um efeito imediato na perda de Nubia, que caiu sob o domínio do poderoso reino de Kush. A região do Delta do Nilo parece ter caído sob o controle de uma dinastia chamada Hicsos. Embora os hicsos eram provavelmente de origem cananeus, que foram totalmente assimilados pela cultura egípcia, e eles próprios denominados como reis egípcios. Eles governaram a partir da cidade de Avaris.


Reunificação


Grande parte do vale do Nilo caiu sob o domínio de governantes novamente com base em Tebas, conhecido na história como a dinastia 17 (c. 1759 aC -
1641 aC). Um rei ambicioso de Tebas, Kamose, começou a reunir a "Terra Preta" em cerca de 1540 aC.

Rei Ah Mose I

Faraó Ah Mose - o bravo guerreiro
Ele parece ter tomado o norte Nubia do reino de Kush com relativa facilidade, mas Avaris provou ser mais difícil, e foi deixado a seu filho, Ahmose (c. 1539-1514 aC), para completar a reunificação.

Demorou cinco campanhas para tirar Avaris, e, em seguida, Ahmose
firmemente estabeleceu o controle egípcio  sobre as estradas em todo Sinai, até a Palestina. Ele derrotou duas rebeliões contra sua autoridade, e foi capaz de passar um forte e unido Egito para seus sucessores. O período do Novo Reino, um dos pontos altos na longa história do antigo Egito, havia começado.



Continuar: Parte 4: Antigo Egito de 1500 aC - 1000 aC olha para um dos períodos mais gloriosos da história egípcia antiga - mas então declina


 

 Observações

Núbia*

 1 - Primeira Catarata (Assuan - Egito)
2 - Segunda Catarata (Nubia atual Sudão até a sexta catarata)
3 - Terceira Catarata
4 - Quarta Catarata
5 - Quinta Catarata
6 - Sexta Catarata
Hoje é Localizada na presente República do Sudão, a antiga Núbia é uma região ao longo do rio Nilo entre Assuão, no norte e Cartum no sul, onde a língua Nubia era falada. Essa região é marcada por seis cataratas, ou afloramentos rochosos, que produzem corredeiras rasas no Nilo (Bard, 2008, p. 53)

Núbia é a parte entre a Segunda Catarata até a Sexta Catarata, onde hoje fica o Sudão.

 

Semna**

Semna era uma área fortificada estabelecida no reinado de Senusret I (1965-1920 aC), na margem oeste do Nilo, no sul, fim de uma série de fortalezas do Reino Médio fundada durante a Dinastia 12 (1985-1795 aC) na área da Segunda-Catarata da Baixa Núbia.
 
O desfiladeiro do Semna , no extremo sul do antigo Egito, era a parte mais estreita do vale do Nilo. Foi aqui, neste local estratégico, que os faraós da Dinastia 12 construíram um conjunto de quatro fortalezas de tijolos de barro: Semna, Kumma, Semna Sul e Uronarti - todas cobertas pelas águas do Lago Nasser desde a conclusão da Alta Barragem de Asswan em 1971.

Egito

2500 AC - 1500BC

 Nos últimos mil anos a civilização egípcia experimentou períodos de força e unidade, e também de fraqueza e divisão. Nesta data, no entanto, a terra acaba de ser re-unificada sob faraós poderosos do que os estudiosos modernos chamam de "Novo Reino" do antigo Egito. Eles rapidamente impuseram controle egípcio sobre os povos que cercavam o vale do Nilo ao sul, leste e oeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário