Páginas

TIPOS DE DANÇAS ÁRABES



Atualizado em 28/07/2019

Danças folclóricas árabes (em árabe: رقص عربي, romanizadas: raqs ʿarabiyy), também chamadas de dança oriental, dança do Oriente Médio e dança oriental, são as danças folclóricas tradicionais dos árabes no mundo árabe. A dança árabe tem muitos estilos diferentes, incluindo os três principais tipos de folclore, clássico e contemporâneo. É apreciado e implementado em toda a região árabe, do norte da África ao Oriente Médio.

O termo "dança árabe" é frequentemente associado à dança do ventre. No entanto, existem muitos estilos de dança tradicional árabe e muitos deles têm uma longa história.  Estas podem ser danças folclóricas, ou danças que já foram realizadas como rituais ou como espetáculo de entretenimento, e algumas podem ter sido realizadas na corte imperial.  Coalescência da narrativa oral, recitação de poesia e música tem uma tradição de longa data na história árabe.  Entre as mais conhecidas danças tradicionais árabes estão a dança do ventre, o ardah e o dabke.

A dança tradicional ainda é popular entre os árabes expatriados e também foi exportada com sucesso para grupos internacionais de dança folclórica em todo o mundo. Todos os dançarinos usam o traje tradicional para incorporar a história de sua cultura e contar suas histórias de antepassados.


 História


Historicamente, a dança sempre foi uma parte importante da cultura árabe. Uma das mais antigas danças sociais desfrutadas pelos árabes no Oriente Médio e Norte da África é Raqs Baladi (em árabe: بلدي, romanizado: baladī; relativo- adjetivo "da cidade", "local", "rural", comparável ao inglês " folk ", com uma conotação de classe baixa). Durante a série de invasões no mundo árabe, os europeus foram influenciados pela cultura árabe. Durante a campanha francesa no Egito e na Síria, em 1798, os europeus estavam interessados ​​no mundo árabe. Em meados do século XIX, as terras árabes, especialmente o Levante, a Mesopotâmia e o Egito, eram coletivamente chamadas de "Oriente".  O Oriente Médio atraiu pintores e escritores europeus descritos como orientalistas, especializados em assuntos orientais; Entre as personalidades mais proeminentes estão Jean-Léon Gérôme, Eugène Delacroix e Jean-Auguste-Dominique Ingres.

O Orientalismo , sem dúvida, contribuiu para o equívoco da dança popular como uma dança da tentação, conduzida para o prazer dos homens. De fato, por causa da tradicional segregação de gênero, as mulheres no Oriente Médio costumam dançar apenas na companhia das mulheres entre pais e amigos. Às vezes, um dançarino profissional e músicos eram convidados para o comitê feminino. Hoje, a segregação de gênero não é praticada estritamente em muitas áreas urbanas, e às vezes homens e mulheres dançam socialmente em eventos familiares e / ou comunitários.

A dança árabe foi realizada nos Estados Unidos em 1893 na World's Columbian Exposition, que incluiu uma exposição intitulada "As ruas do Cairo". A exposição contou com a presença de dançarinos de vários países árabes do Oriente Médio e Norte da África, incluindo a Síria e a Argélia. O termo "dança do ventre" é frequentemente creditado ao Sol Bloom, seu diretor de entretenimento, mas se referiu à dança como danse du ventre, o nome usado pelos franceses na Argélia. Em suas memórias, Bloom afirma: "quando o público aprendeu que a tradução literal era" dança do ventre ", eles concluíram com satisfação que deve ser lascivo e imoral ... Eu tinha uma mina de ouro".


Tipos de dança


Os árabes têm sua própria música e dança, que faz parte de sua identidade . Há muitas danças tradicionais árabes, pois o mundo árabe é uma vasta área. Os homens também estão tão envolvidos quanto as mulheres . Aqui estão quatro tipos de danças tradicionais.


Danças clássicas árabes


Essas danças datam da antiguidade e não deixaram de evoluir na história e no tempo.


Dança do ventre


Nagwa Fouad belly dance Egito
Dança do ventre também referida como dança árabe (em árabe: رقص شرقي, romanizado: Raqs sharqi é uma dança expressiva árabe, que enfatiza movimentos complexos do tronco. Muitos meninos e as meninas em países onde a dança do ventre é popular aprenderão a fazê-lo quando são jovens. A dança envolve o movimento de muitas partes diferentes do corpo, geralmente de maneira circular. Tanto mulheres quanto homens podem dançar no ventre.




Shamadan


Shamadan


Shamadan (em árabe : شمعدان ) é um grande candelabro equilibrado no topo da cabeça de um dançarino, em uma tradição única da dança egípcia. Este adereço de dança é historicamente usado na procissão do casamento egípcio, ou zeffah. A procissão do casamento ocorre tradicionalmente à noite, serpenteando pelas ruas do bairro, desde a casa dos pais da noiva até sua nova casa na casa do noivo. Este é o movimento oficial da noiva e é liderado por um dançarino, músicos e cantores, seguido pela festa de casamento e seus amigos e familiares.



Raqs Sharqi

Raqs Sharqi - Cairo



Raqs Sharqi (em árabe: رقص شرقي ) é o estilo egípcio clássico de dança do ventre que se desenvolveu durante a primeira metade do século XX. Esta dança é pré-islâmica e é uma tradição oral que mudou ao longo dos séculos. Algumas pessoas acreditam que se originou como uma dança de adoração de fertilidade ou deusa, e no norte da África ainda pode ser usado para ajudar durante o parto.









Baladi


Baladi - Egito


Baladi (em árabe: بلدي) significa “do país” e é um estilo de dança folclórica egípcia do início do século 20, que ainda é muito popular. Assim, "Beledi egípcio" significa "do país do Egito". Surgiu quando os agricultores se mudaram para a cidade e começaram a dançar em pequenos espaços. Os egípcios têm pessoas Baladi, pão Baladi, ritmos Baladi, música Baladi e dança Baladi.  É uma forma popular / social de dança do ventre. É mais estacionário que o raqs sharqi, com pouco uso dos braços, e o foco é nos movimentos do quadril. A dança de Baladi tem uma sensação "pesada", com o dançarino aparecendo relaxado e fortemente conectado ao chão. É realizado para baladi ou música folclórica.




Almeh


The 'Al'meh, or Dancing Girl. Illustration for Everyday Life in the Holy Land by James Neil (SPCK, c 1910).

Almeh ( árabe: عالمة, romanized: ʕálma IPA: [ˈʕælmæ]; a pronúncia do camponês é ʕálme ou ʕālme, plural عوالم ʕawālim [ʕæˈwæːlem, -lɪm], do árabe: ʻālima, de علم "saber, ser instruído") era o nome de uma classe de cortesãs ou artistas do sexo feminino no Egito, mulheres educadas para cantar e recitar poesia clássica e discursar espirituosamente.



Ouled Nail


Ouled Nail


Ouled Nail (em árabe : أولاد نايل ) originou um estilo de música, às vezes conhecido como música Bou Saada após a cidade perto de sua terra natal. Na dança do ventre, o termo refere-se a um estilo de dança originado pelo Ouled Naïl, conhecido por sua maneira de dançar. Que envolve pequenos movimentos rápidos dos pés, emparelhados com movimentos vigorosos do tronco e do quadril.













Ghawazi

Ghawazi



Ghawazi (em árabe : غوازي ) (também ghawazee ) dançarinos do Egito eram um grupo de dançarinas viajando do sexo feminino. Os Ghawazee se apresentam, desvelados, nas ruas públicas, até para divertir a turba. Sua dança tem pouca elegância; Sua principal peculiaridade é um movimento vibratório muito rápido dos quadris, de um lado para o outro.




Danças folclóricas


Essas danças são realizadas durante as celebrações civis ou eventos como nascimento, morte, casamento ou uma ascensão social e, por vezes, durante festivais religiosos.



Dabke


Dabke - Palestina

Dabke (em árabe: دبكة ), é um evento de dança folclórica árabe que faz parte da paisagem sociocultural compartilhada da Jordânia, Palestina, Líbano e Síria. Duas vezes, Dabke foi transformado em um cânone fixo de padrões de movimento e passos que, através de repetidas ececuções, serviram para consolidar normas comportamentais e culturais. Diz a lenda que as pessoas daquela região naquela época faziam os telhados de suas casas com galhos de árvores e lama.

Sempre que o tempo mudava, a lama rachava e membros de sua família ou comunidade vinham e ajudavam a consertá-la, formando uma linha e juntando as mãos e pisando a lama no lugar. Nos meses mais frios, eles cantavam para ajudar a manter seus corpos aquecidos.



Deheya


Deheya - Jordania


Deheya (em árabe: دحية ), é uma dança beduína praticada na Palestina, Jordânia, norte da Arábia Saudita, alguns dos estados do Golfo, o deserto da Síria e o Iraque. Foi praticado antes das guerras para provocar entusiasmo entre os membros da tribo, e no final das batalhas nos tempos antigos descrevem a batalha e os torneios, mas agora é praticado em ocasiões como casamentos, feriados e outras celebrações.




Danças Populares


As danças populares envolvem todas as formas de expressões artísticas de um povo.


Khaligí

Khaligi - Emirados


Khaligí (em árabe: خليجي) é uma dança realizada nos países da Península Arábica. Um longo " Thawb " (vestido) é usado e o dançarino se segura na frente. Há um passo com isso, mas a principal característica é o cabelo balançando quando a cabeça balança de um lado para o outro. O nome da dança significa literalmente " golfo " em árabe e é dançado por mulheres locais em casamentos e outros eventos sociais.

Khaligí é uma dança alegre, animada, expressiva, gestual e delicada, realizada em eventos que envolvem alegria e celebração (como casamentos).  As mulheres dançam em cumplicidade e geralmente começam com uma delas sozinha na pista de dança para começar a dança, e então as outras se juntam a ela. As partes principais do corpo envolvidas na dança são as mãos, cabeça e o "Thawb" em si. O cabelo, além do "Thawb", é o principal elemento usado para dançar
Khaligí: as mulheres deixam seus cabelos longos "dançarem" movendo-se de lado a lado, para frente e para trás, em círculos e fazendo outras figuras. Recentemente, tornou-se muito popular entre os dançarinos do ventre.

A dança
Khaligíé mais comumente executada em ritmo hipnótico 2/4, com duas batidas fortes e uma pausa, chamada de saudita, khaliji ou ritmo adany (do Iêmen). Não há um ritmo khaliji mas centenas, já que esta dança representa muitos países da área do Golfo.




Ardah

Ardah - Golfo


Ardah (em árabe: العرضة, romanizado: al-'arḍah ) é um tipo de dança folclórica na Arábia. A dança é executada com duas fileiras de homens opostos um do outro, cada um dos quais pode ou não estar empunhando uma espada ou bengala, e é acompanhado por tambores e poesia falada.  Nos Emirados, a versão local é chamada Al Ayala.

Acredita-se que o termo 'Ardah' deriva do verbo arábico que significa 'mostrar' ou 'desfilar'. Foi assim chamado porque seu objetivo era mostrar publicamente a força de luta de uma tribo e aumentar a moral antes de um compromisso armado.  Embora existam variações regionais da execução específica de ardah, o propósito que serve é quase idêntico em toda a Península Arábica.




Hagallah


Hagallah

Hagallah (árabe: هجاله) é uma dança folclórica de celebração conhecida como o hagallah é realizada pelos beduínos (bedu) estabelecidos de Mersa Matruh no Egito Ocidental e é frequentemente realizada durante a safra de tâmaras, que é a temporada de casamento nessa área. Hagallah também é conhecido em áreas da vizinha Líbia e está relacionado com danças kaf (palmas) em outras regiões do Oriente Médio., Hagallah é realizado pelos beduínos do oeste do Egito. Foi descrito como uma dança de casamento e também como uma dança de maioridade de uma menina.



Sheikha


Sheikha


Sheikha (em árabe: شيخات ): em árabe clássico, a palavra sheikha é o feminino do sheikh uma pessoa com conhecimento, experiência e sabedoria. No Maghrebi (árabe marroquino), "sheikha" limita seu significado para especificar uma mulher com conhecimento carnal suficientemente extenso para ensinar aos outros. É uma dança erótica só para mulheres, originalmente apresentada para a noiva antes de seu casamento, com a idéia de ensiná-la como seria esperado que ela se mudasse para o leito conjugal.




Guedra (kadra)

Kadra - Marrocos


Guedra (ou kadra) (em árabe: كدرة) é uma dança da região desértica do sudoeste de Marrocos, realizada para induzir um estado alterado de consciência, com um músico solo iniciando a dança com movimentos da mão, depois balançando a cabeça e o tronco até um estado de transe alcançado. Os dançarinos de Guedra são mulheres solteiras ou divorciadas. Às vezes, os homens da platéia perguntarão com vistas ao casamento.



Yowla


Yola - Emirados


Yowla (em árabe: اليولة) é uma dança tradicional nos Emirados Árabes Unidos. Envolve a rotação e o lançamento de um rifle (arma) cenográfica, inteiramente feito de madeira e chapeamento de metal.



Danças sagradas


Mwald celebrações da família do Profeta no Egito é as melhores mesas estendidas e sugere desde os dias da eternidade, e celebra o povo de Deus no Egito Bmwald a família do Profeta em datas fixas anuais
Essas danças sagradas estão relacionadas com a religião dominante do mundo árabe que é o Islã. Eles estão particularmente ligados ao sufismo que é o coração da tradição islâmica inaugurada pelo Profeta.



Tanura

Tanura


Tanura (em árabe: التنورة ) É uma dança folclórica egípcia com óbvias origens sufistas, que hoje se tornou um importante ritual dos rituais de celebração realizados em muitas ocasiões. A dança é uma dança rítmica realizada coletivamente por movimentos circulares, que deriva do sentido místico islâmico de base filosófica. Ele vê que o movimento no universo começa de um ponto e termina no mesmo ponto e, portanto, reflete esse conceito em sua dança.  Seus movimentos vêm como se estivessem desenhando halos, encharcados no espaço. A palavra tanura ou tannura se refere à saia colorida usada pelo redemoinho, com uma cor representando cada ordem Sufi.


Zar

Zar - Egito


ZAR (em árabe: زار) é uma dança realizada para afastar os maus espíritos. Originou-se no Sudão, mas também é popular entre as mulheres no Egito.




Traduçao: Cris Freitas nos Emirados Arabes Unidos



LEIA MAIS ARTIGOS