Translate it!

KASBAH - KSAR - MEDINA: A URBANIZAÇÃO ANTIGA ÁRABE E O SIGNIFICADO DE CADA UMA


A beleza das construções dos países árabes do norte da África: Marrocos, Tunisia e Algeria, principalmente.


Kasbah of Sfax, Tunisia, Maghreb

 

Kasbah


Um casbá (árabe : قصبة, Translit qaṣbah, "parte central de uma cidade ou fortaleza"; também conhecido como qasaba, gasaba e quasabeh, em espanhol Alcazaba (restos da Espanha moura). Em português, evoluiu para a palavra alcáçova; é um tipo de medina ou fortaleza (cidadela). Um kasbah é um edifício fortificado ou uma parte fortificada de uma cidade, historicamente o lar de governantes regionais que fornecem segurança contra ataques. Construído com muros altos e poucas janelas exteriores e muitas vezes em colinas para proporcionar maior segurança, os kasbahs abrigam um ou mais edifícios. Exemplos clássicos de kasbahs dentro da medina são encontrados em Rabat e Tânger. Os kasbahs são encontrados em muitos lugares do Marrocos e remontam a vários séculos - alguns tendo sofrido reparos significativos, mas alguns agora bastante degradados - com uma seleção fascinante facilmente acessível dentro e ao redor das montanhas do Alto Atlas.

Fortaleza


No Marrocos, a forma da palavra árabe kasbah freqüentemente se refere a vários edifícios em uma fortaleza, um forte ou várias estruturas atrás de uma parede defensiva.
Ter uma kasbah construída era um sinal da riqueza de algumas famílias na cidade. Quando a colonização começou em 1830, no norte da Argélia , houve um grande número de kasbahs que duraram mais de 100 anos.



Cidade velha

A palavra kasbah também pode ser usada para descrever a parte antiga de uma cidade, caso em que tem o mesmo significado de um bairro medina . Alguns dos exemplos proeminentes de kasbah como uma cidade antiga são a Casbah de Argel e a Casbah de Dellys .


Torre de Vigia

Nas províncias de Al-Bahah e Asir da Arábia Saudita e no Iêmen , a palavra "qasaba" geralmente se refere a uma única pedra ou torre de pedra, seja como parte de uma casa-torre ou de uma torre isolada no topo de uma colina ou comandando um campo. A Enciclopédia Britânica define: "As antigas qasabas encontradas na província eram usadas como vigias ou celeiros".

 
Torre de vigia de Kasbah na cidade de Al Baha , Arábia Saudita de Hejazi

 

 

  
Ksar (ou ksour)


Ksar of Ait-Ben-Haddou, Morocco - UNESCO World Heritage Centre


Ksar, plural ksour (Maghrebi Árabe: قصر ) é o termo norte-africano para "Castelo berbere", possivelmente emprestado do latim castrum. O termo geralmente se refere a uma aldeia fortificada berbere.

Ksour no Magrebe tipicamente consiste em casas anexas, muitas vezes tendo ghorfa coletivo (celeiros) e outras estruturas como uma mesquita, banho, forno e lojas. Ksour são comuns entre as populações oásis do norte da África. Os ksars são às vezes situados em locais montanhosos para facilitar a defesa; eles geralmente estão inteiramente dentro de uma única parede contínua. O material de construção de toda a estrutura é normalmente adobe (tipo de massa feita de barro, água e capim seco), ou pedra cortada. Os ksars formam uma das principais manifestações da arquitetura berbere.
A palavra faz parte dos nomes de lugares em todo o Marrocos, Argélia e Tunísia, - a região chamada Magrebe; e é particularmente prevalecente no lado saariano das várias cadeias das montanhas Atlas e do vale do rio Draa.

 

Lugares nomeados ksar:

  • Ksar es-Seghir (Alcácer-Ceguer em português), fortaleza marroquina no Estreito de Gibraltar, entre Tânger e Ceuta
  • Ksar el-Kebir, local da Batalha de Alcácer Quibir, influenciou a história marroquina, portuguesa e espanhola
  • Ksar Nalut, Líbia
  • Ksar Ouled Soltane, Tunisia

ksar es-seghir - Marrocos

ksar Nalut - Libia
ksar Ouled Soultane - Tunisia


Ait-Ben-Haddou, o Ksar famoso de Marrocos

Ksar Aït Benhaddou (língua berbere: ⴰⵢⵜ ⵃⴰⴷⴷⵓ; árabe: يت بن حدّو) é uma vila fortificada, ao longo da antiga rota de caravanas entre o Saara e Marraquexe, no atual Marrocos. A maioria dos cidadãos atraídos pelo comércio turístico vive em moradias mais modernas em uma aldeia do outro lado do rio, embora existam quatro famílias que ainda vivem na antiga vila.
Ait Benhaddou fica a 30 km a noroeste de Ouarzazate, na margem oeste do Wadi Mellah e do rio Ouarzazate.

Hoje, embora apenas habitada por cerca de meia dúzia de famílias, os visitantes são atraídos pelo número e variedade de seus kasbahs, alguns dos quais se acredita que remontam ao século XVI. Tal é a beleza e singularidade da paisagem que a área também se tornou popular como pano de fundo para o negócio do cinema, com grandes cineastas americanos e europeus usando a cidade velha como pano de fundo para uma série de filmes de sucesso, incluindo:

     Sodoma e Gomorra (1963)
     Édipo Rei (1967)
     O homem que seria rei (filme) (1975)
     A Mensagem (1976)
     Jesus de Nazaré (1977)
     Bandidos do Tempo (1981)
     Marco Polo (1982)
     A Jóia do Nilo (1985)
     The Living Daylights (1987)
     A Última Tentação de Cristo (1988)
     O Céu que Nos Protege (1990)
     Kundun (1997)
     A Múmia (1999)
     Gladiador (2000)
     Alexander (2004)
     Reino dos Céus (2005)
     Babel (2006)
     Uma noite com o rei (2006)
     Príncipe da Pérsia (2010)
     Filho de Deus (filme) (2014)

Também usado em partes da série de TV Game of Thrones.


A distinção entre kasbah e ksar é pequena, ambas estruturas fortificadas contendo um ou mais edifícios, embora ksars tendam a ser menos grandiosos do que kasbahs.

Slide com fotos



 

 

 

Medina


Um bairro medina (em árabe: المدينة القديمة al-madīnah al-qadīmah "a cidade antiga") é uma seção distinta da cidade encontrada em várias cidades do norte da África e de Malta. Uma medina é tipicamente murada, com muitas ruas estreitas e labirínticas. A palavra "medina" (em árabe: مدينة madīnah) significa simplesmente "cidade" ou "cidade" no árabe dos dias de hoje, embora tenha sido emprestada de uma palavra aramaica-hebraica (também "medina") que se refere a uma cidade ou área povoada .

Medinas oferecem uma área protegida (altas paredes e ruas estreitas e sinuosas) dentro da qual as pessoas negociavam (nos souks), viviam (muitas vezes em riads ou dars, com hammams (banhos) e padarias locais para cada distrito) e rezavam.

Os bairros de Medina geralmente contêm fontes históricas, palácios, mesquitas e, às vezes, igrejas.

Por causa das ruas muito estreitas, as medinas geralmente são livres de tráfego de carros e, em alguns casos, até de motocicletas e bicicletas. As ruas podem ter menos de um metro de largura. Isso os torna únicos entre os centros urbanos altamente povoados. A Medina de Fes, ou Fes el Bali, é considerada uma das maiores áreas urbanas livres de carros do mundo.

Bab Bou Jeloud in Fes el Bali at Fez, Morocco -PORTAL DE ENTRADA DA MEDINA DE FEZ

Medina de Fez - Marrocos



Fes el Bali (em árabe : فاس البالي ), Antiga Fez, é a parte mais antiga murada de Fez, Marrocos . Fes el Bali foi fundada como a capital da dinastia idriside entre 789 e 808 dC. Além de ser famosa por ter a universidade mais antiga do mundo, a Universidade de Al-Karaouine , Fes el Bali, com uma população total de 156.000 habitantes, também é considerada a maior área urbana livre de carros do mundo.

A UNESCO listou Fes el Bali como Patrimônio da Humanidade em 1981 sob o nome de Medina de Fez . O Patrimônio Mundial inclui o tecido e as paredes urbanas de Fes el Bali, bem como uma zona de proteção fora das paredes, que se destina a preservar a integridade visual do local.

Fes el Bali é, juntamente com Fes Jdid e a francesa Nouvelle ou “Cidade Nova”, um dos três principais distritos de Fes.


MEDINA DE FEZ - MARROCOS

RUAS ESTREITAS DE FEZ - MARROCOS


Lista de cidades "medina"


Argélia

    
Argel, a Casbá de Argel é uma medina com o nome de sua fortaleza.
    
Dellys, a Casbah de Dellys

Líbia

    
Derna
    
Ghadames
    
Gharyan
    
Huno
    
Murzuk
    
Trípoli
    
Waddan
    
Tazirbu
    
Benghazi

Malta

    
Mdina, Malta, tem características medíocres de seus governantes árabes passados


Marrocos


    Casablanca, Marrocos

    Chefchaouen, Marrocos

    Essaouira, Marrocos

    Fes, Marrocos, tem duas medinas antigas, refletindo o fato de que a cidade de hoje contém duas cidades medievais que foram construídas juntas, mas separadas

    Medina de Marraquexe, Marrocos, tem uma medina muito extensa e antiga

    Meknes, Marrocos

    Rabat, Marrocos

    Tânger, Marrocos

    Taza, Marrocos

    Tétouan, Marrocos



Tunísia


    Hammamet, Tunísia

    Kairouan, Tunísia

    Monastir, Tunísia

    Medina de Sfax, Tunísia

    Medina de Sousse, Tunísia

    Medina de Tunis, na Tunísia, inclui a famosa mesquita Zaytuna



Locais de medinas em ruinas


    Granada, Espanha

    Sevilha, Espanha

    Córdoba, Espanha




Esse é um dos assuntos que eu realmente gosto de pesquisar e viajar nas fotos. Espero um dia poder visitar algumas dessas cidades.

 Cris Freitas
Nos Emirados