Translate it!

EGITO: GUERRA CONTRA O LIXO NAS RUAS





O ministro do Desenvolvimento Local, Khaled Kassem, afirmou que o ministério começará um sistema de limpeza que eliminará todo o lixo nas ruas do Cairo e de outras províncias dentro de três meses.De acordo com o jornal Egito Hoje, o parlamento egípcio emitirá uma nova lei do lixo na próxima reunião parlamentar. Uma vez que o National Waste Managment Holding, um grupo de gestão de resíduos, for inaugurado, os governadores entregarão estudos abrangentes sobre o novo sistema de limpeza; um sistema de limpeza que irá coletar o lixo e movê-lo para unidades de reciclagem e estações de tratamento de resíduos.O Egito vem lutando com o problema da eliminação de resíduos há anos.De acordo com a Agência Central de Mobilização Pública e Estatísticas (CAPMAS), 44,8 por cento das famílias locais jogam o lixo nas ruas do Egito a partir de 2017. A Agência de Assuntos Ambientais também relatou que os egípcios usam cerca de 12 bilhões de sacolas plásticas por ano causando danos ambientais.



No entanto, tem havido muitos esforços do setor público e privado para resolver o problema do lixo do Egito. Em maio, o ex-ministro do Meio Ambiente, Khaled Fahmy, afirmou que o Cairo recebeu equipamentos EGP de 300 milhões de dólares para estabelecer um novo sistema de gerenciamento de resíduos em Kafr Al Sheikh.Anteriormente, o ministro do Meio Ambiente, Khaled Fahmy, anunciou em 31 de maio que a província do Cairo conta com equipamentos no valor de 300 milhões de dólares para implementar o novo sistema de gestão de resíduos que começou em Kafr Al-Sheikh.Quatro novas usinas de gerenciamento de resíduos devem operar nas províncias de Kafr Al-Sheikh, Qena, Assiut e Gharbiya com a ajuda das autoridades egípcias, do Banco de Construção da Alemanha e da União Européia (UE). O Gabinete Egípcio também endossou um novo sistema de gestão de resíduos a ser estabelecido em Al Wadaa Wal Amal, no Cairo.Para aumentar ainda mais a conscientização sobre o problema de plástico local, o Ministério do Meio Ambiente iniciou uma campanha ' Chega de sacolas plasticas ' em colaboração com a UE em junho de 2017, para reduzir o uso de plástico, especialmente sacolas plásticas. O ministério distribuiu cerca de 4.500 sacolas biodegradáveis ​​em todo o país desde o lançamento da campanha.



Os empreendedores locais também contribuíram para resolver o problema do plástico transformando lixo em itens de moda. Empresas locais como Upfuse e Reform criam bolsas, sapatos e cadeiras de sacos plásticos.Parece que os egípcios estao gradualmente seguindo o exemplo de vários países africanos que adotaram a prática. Em 2008, o Ruanda impôs uma proibição total de sacolas plásticas finas com o Uganda, seguindo o exemplo. A Etiópia e a Tanzânia estão debatendo a causa, enquanto o Marrocos a proibiu também; A Tunísia lançou uma proibição da distribuição de sacos de plástico, nomeadamente em supermercados em 2017.


Essa mataria foi retirada do site Egypt Streets.