Páginas

O SARCÓFAGO DOURADO DO REI TUTANCÂMON REMOVIDO DA TUMBA PELA PRIMEIRA VEZ



Tumba contendo sarcófago do Rei Tut


Especialistas começaram a restaurar o caixão do rei Tutancâmon, o antigo rei do Egito, pela primeira vez desde que foi encontrado em 1922.

Faz quase um século que a tumba foi descoberta pelo arqueólogo britânico Howard Carter.

Incluiu cerca de 5.000 artefatos e desde então tem sido intocado.

Agora, porém, o Ministério de Antiguidades do Egito anunciou que está sendo restaurado.


Quem foi Tutancâmon?


Tutancâmon governou o Egito Antigo por cerca de 10 anos.

Ele é conhecido como o menino faraó - ou rei - porque ele estava no poder quando ele tinha apenas nove anos de idade.

Ele morreu por volta dos 18 anos, por volta do ano 1324 aC.

Ele é famoso porque seu túmulo foi descoberto completamente intacto.



O que está acontecendo com o túmulo dele?

 

O sarcófago de Tutancâmon (um contêiner de pedra em forma de caixa) continha não um, mas três caixões para conter o corpo do rei.

 



 





 












Dois dos três caixões de Tutancâmon foram feitos de madeira, cobertos com uma folha de ouro. Mas o caixão mais interno é feito de folhas grossas de ouro batido e vale mais de 1 milhão de libras.


Dentro do santuário mais recôndito havia três caixões em forma de corpo humano, pintados à semelhança do falecido faraó mumificado por dentro. As pinturas permitiram que os mortos tivessem um rosto na vida após a morte, tornando-os altamente importantes na religião egípcia. Juntamente com a imagem pintada do rei Tut, os sarcófagos tinham pinturas de outras divindades, juntamente com outros adornos, mostrando a prevalência e o prestígio do governante. Dentro dos três caixões colocou o corpo preservado do rei junto com sua famosa máscara de ouro da morte.

1 - O caixão exterior

O caixão externo do Rei Tutankhamon mede 2.24 metros (7.35 pés) de comprimento e sua cabeça está posicionada a oeste. O caixão repousa sobre um bier baixo que surpreendentemente sobreviveu 3.200 anos sob a pressão do peso de um quarto e um quarto de tonelada dos sarcófagos. A tampa e a base estavam cobertas de rishi, uma decoração de penas executada em baixo relevo.


CAIXÃO EXTERNO DO REI TUTANCAMON


À esquerda e à direita estavam imagens gravadas das divindades Isis e Nephthys com as asas estendidas. No fundo do caixão, sob o pé, está outra representação da deusa Isis em posição ajoelhada; abaixo, há dez linhas verticais de hieróglifos usadas como uma espécie de encanto protetor para o rei sepultado. Lascas do caixão revelaram que era feito de madeira de cipreste com uma fina camada de gesso, ou primer, revestida com folha de ouro.

A sobreposição de ouro variava em espessura e cor sobre a superfície do caixão; folhas mais grossas e mais pálidas foram usadas para o rosto e as mãos, em oposição a outras partes do corpo. Nas palavras de Howard Carter, essa variação de espessura e cor deu “uma impressão do cinza da morte”. O próprio rei Tutancâmon é representado na imagem de Osíris - segurando os símbolos gêmeos da realeza, do bandido e do mangual. O desenho original da tampa do caixão incorporou quatro alças de prata, ainda intactas no momento da descoberta, Carter e sua equipe usaram para abrir o primeiro sarcófago para revelar o que os esperava abaixo.


2 - O segundo caixão exterior


Usando as alças de prata, os arqueólogos removeram a tampa do primeiro caixão para revelar outro caixão escondido por baixo. O segundo caixão mede 2,04 metros (6,69 pés) de comprimento e é feito de uma madeira ainda a ser identificada, coberta no mesmo gesso do primeiro caixão, sobreposto por outra camada de folha de ouro. As incrustações eram muito mais extensas do que o caixão externo, apesar de terem sofrido devido à umidade dentro do túmulo e, portanto, mostrar algum dano.

DETALHE DA CABEÇA DO CAIXAO DO MEIO



Uma técnica conhecida como trabalho cloisonné egípcio foi usada neste caixão. Essa técnica envolve tiras estreitas de ouro sendo soldadas na base do sarcófago para formar células nas quais pequenos pedaços de vidro colorido podem ser cimentados. Tal como acontece com o caixão exterior, um padrão rishi cobre toda a superfície do corpo do rei, embora aqui as penas estejam incrustadas de vermelho jaspe, azul lapis e turquesa.

FOTO DO PRIMEIRO PLANO CAIXAO DO MEIO


Substituindo as imagens de Isis e Nephthys estão as imagens da deusa do abutre alado Nekhbet e do alado Wadjet, essas imagens também são incrustadas com pedaços de vidro vermelho, azul e turquesa. Infelizmente, ao contrário do primeiro caixão, não havia alças presas à tampa do caixão. Além disso, havia dez pregos de prata com cabeça de ouro segurando a tampa em seu lugar. No entanto, Carter e sua equipe persistiram e removeram a tampa para revelar o terceiro e último sarcófago do rei Tutankamon.




3 - O caixão mais interno


O caixão mais íntimo era certamente um espetáculo para ser visto. Quando a tampa do segundo sarcófago foi finalmente levantada, revelou uma imagem humana muito parecida com as duas primeiras, porém, esta foi feita de ouro maciço. O caixão dourado mede 1,88 metros (6,17 pés) de comprimento e o metal usado para formar a forma foi martelado com uma pesada folha de ouro em espessuras que variam entre 0,25 e 0,3 cm (0,1 a 1,18 polegadas).
 



























Em 1929, o sarcófago foi pesado em 110,4 kg (243,39 lbs.), Assim seu valor de sucata naquela época teria sido de 1,7 milhões de dólares. Como nos dois primeiros caixões, a imagem do rei fica de braços cruzados, segurando o cajado e o mangual. No entanto, os materiais incrustados são muito mais ricos neste caixão. Os olhos são incrustações de calcite e obsidiana, as sobrancelhas e linhas de cosméticos são de vidro colorido em lápis-lazúli.

No colo do caixão foram colocados dois pesados ​​colares de contas de disco feitas de faiança vermelha, amarela e azul. Debaixo das mãos do rei, as deusas Nekhbet e Wadjet, feitas de folha de ouro e incrustadas de quartzo de dorso vermelho junto com lápis de cor e vidro turquesa, estenderam suas asas protetoramente ao redor da parte superior do rei. Em suas garras, cada um deles apreende o hieróglifo egípcio por “infinito”. As deusas Ísis e Néftis também estão presentes novamente no pano de fundo do rishi, muito parecido com os dois caixões anteriores. Como o caixão mais externo, o mais interno estava equipado com quatro alças que tornavam a tampa mais fácil de remover. Assim, finalmente, “a tampa foi erguida por suas alças douradas e a múmia do rei revelou”.


O túmulo de Tutankhamon, o caixão mais recôndito - ouro com incrustações de esmalte e pedras semipreciosas. (Museu Egípcio, Cairo)



Espera-se que o caixão e a coleção preciosa do túmulo de Tutankhamon sejam a peça central do novo Grand Egyptian Museum, que deve ser inaugurado no próximo ano.

"O caixão sofreu muitos danos, incluindo rachaduras nas camadas douradas de gesso e uma fraqueza geral em todas as camadas douradas", disse Eissa Zidan, encarregada da restauração do caixão no museu.

"O trabalho de restauração levará cerca de oito meses", acrescentou ele.

A DESCOBERTA EM 1922


 Fiz um slide com as fotos redigitalizadas da época em que a tumba do Rei Tutancamon foi descoberta em 1922.
Espero que tenham gostado!





Fontes:



Pesquisa e traduçao: Cris Freitas nos Emirados Arabes Unidos



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção!
Todo comentário é lido antes de ser publicado.

LEIA MAIS ARTIGOS